Vampiros Energéticos (parte 2)

vamp

Antes de continuar leia a primeira parte deste artigo e assista ao vídeo do Canal Portugal Místico.

Todos temos um corpo energético e a energia trocada entre nós é um processo contínuo e que está desprovido de consciência. Tal como o vento, não precisamos de ver esta simbiose energética constante para sabermos que existe.

ww-psychic-vampire-bwNa primeira parte deste expliquei o que são os Vampiros Energéticos, como os detectar e tentar evitar ser um deles. A maioria de nós só nota que um Vampiro Energético esteve por perto quando este deixa de estar próximo e a pessoa se sente exausta, desmotivada, sem entusiasmo e com uma estranha sensação de tédio. Em geral as pessoas, só porque estas simbioses energéticas estão pouco exploradas, vão começar a explicar as estranhas sensações de falta de energia culpando as mudanças de tempo, uma pequena depressão, fraqueza por não comer há umas horas ou qualquer outra explicação mais ou menos rebuscada.

De facto quando alguém está exposto a um ambiente familiar ou de trabalho onde existe um ou mais Vampiros Energéticos podem ficar deprimidos, pesados, desmotivados, desequilibrados e eventualmente desenvolver dificuldades imunitárias no corpo físico ficando doentes com alguma facilidade.Tal como nas clássicas histórias de vampiros, alguém que atinja este estado de falha energética devido à exposição a Vampiros Energéticos irá automaticamente tornar-se, ela própria, um vampiro. Isto acontece porque a vítima não tem mais energia para dar unilateralmente e para sobreviver irá necessitar sugar energia ela mesma.Nesta ordem de ideias se olharmos à nossa volta podemos com alguma facilidade compreender que a praga dos Vampiros Energéticos é algo que se está a espalhar com bastante facilidade (especialmente nos centros urbanos) e pode bem ser a praga do século XXI.

PROTECÇÃO ANTI-VAMPÍRICA

As pessoas têm em geral protecções automáticas e naturais para este género de ataques energéticos. Chamo-lhes os Escudos Naturais, ou placas energéticas que o atacante, um desses Vampiros Energéticos, tem de ultrapassar para atingir o seu objectivo, consciente ou não.Quem vive em grandes cidades vê o lado prático deste Escudos Naturais ao observar o quão difícil é conectar com alguém, ter intimidade e sinergia. Este é o lado menos bom destes escudos mas na sociedade moderna eles são necessários se quisermos aguentar a fome energética do enorme número de Vampiros Energéticos que nos rodeiam.

Proteger-mo-nos contra ataques vampíricos começa exactamente pela tomada de consciência de cada indivíduo que nos rodeia e analisar o seu grau de vampirismo para conseguirmos atribuir as devidas protecções que vão desde o afastamento físico, o afastamento mental, o uso de cristais e as meditações de protecção que lançam escudos energéticos momentâneos e eficazes.

 

  • Afastamento Físico: como o nome indica deveremos, dentro do possível, estar o menor tempo possível na presença dos vampiros que nos rodeiam afastando-nos e procurando pessoas que exalam positividade, boa disposição e vontade de viver.
  • Afastamento Mental: comece por tomar 3 profundas respirações, o sopro é um mecanismo de libertação energética que auxilia física e mentalmente oferecendo uns momentos de abstracção e alívio. Durante estas respirações procure uma imagem, quadro ou fotografia (à falta de um concentre-se mentalmente numa paisagem de sol e mar ou numa paisagem de topo de montanha). Imagine-se lá, o que sente, como está… ensine o seu subconsciente que está em controlo completo da situação e sinta apenas o que quer sentir.
  • Uso de cristais: É importante carregarmos connosco diariamente os ‘nossos’ cristais limpos e energizadores. Muitas vezes apenas para manutenção energética, e neste caso um cristaloterapeuta sério pode dar o conselho de quais se apropriam para a sua situação energética. Por outras vezes carregar cristais dissipadores e cristais protectores poderão dar o extra de defesa contra a presença e acção destes vampiros; cristais como a turmalina negra em bruto ou a ónix em conjunto com um quartzo adequado à sua aura (citrino, rosa, fumado, cristal ou ametista) podem ser usados em conjunto num pequeno saco de veludo e mantidos no bolso ou carteira de forma a estarem constantemente em contacto com a nossa propagação áurica e fazerem o seu trabalho de manutenção e protecção.
  • Meditações de protecção: se vai estar na presença de vampiros (ou já está), agarrar 10 minutos para fazer uma pequena meditação de luz branca pode oferecer-lhe uma protecção capaz e funcional contra os ataques sucessivos de um vampiro. Concentre-se na sua respiração por uns momentos, sinta-se relaxar ao ponto de conseguir sentir o seu batimento cardíaco e relaxar ao seu ritmo. Visualize uma luz branca que se aproxima em 10 lentos segundos e o/a envolve num abraça quente e protector, como se se trata-se de um escudo físico que irá resvalar todos os ataques a que está sujeito. Desta forma está a criar uma zona de conforto onde a sua energia estará activamente em processo de protecção do seu sistema chákrico e campo áurico. Pode ainda acrescentar a este exercício uma meditação de fronteiras onde vai, meditando ligeiramente, decidir e impor fronteiras de até onde deixará o vampiro ir. Estar à defesa é sempre uma óptima solução e quando sente que o vampiro está a ir longe demais estará preparada/o para ripostar qualitativamente.

 ALIMENTAR UM VAMPIRO POR VONTADE PRÓPRIA

vampA primeira reacção quando constatamos que a nossa mãe, irmã, melhor amiga, colega de trabalho ou de mesa ou simplesmente vizinha é um vampiro é fugir a sete pés e evitar o contacto, dentro do possível, com essa pessoa. Quando isto não é possível por ligações fortes e lógicas, como os pais que tomam conta dos seus pequenos vampirinhos, ou o marido que tem na mulher uma super vampira, tendemos a aumentar os nossos Escudos Naturais e tentar sobreviver assim. Mas estas construções de escudos de uma forma continuada acabam por eventualmente falhar, entrar em declínio e trair-nos oferecendo a vampiros ainda mais esfomeados que atacam ao primeiro sinal de fraqueza.

Mas claro que é possível estabelecer um fluir estável através do nosso corpo energético, que vai beber energia ao ambiente e canalizar essa energia directamente para o vampiro. Deixando de ser uma vítima, mas um canal de transmissão de sustento. Mas para isso temos de estar sãos da nossa aura, do nosso sistema chakrico, do nosso corpo energético em geral para evitar que repentinos ataques possam desequilibrar novamente a relação energética.Aprender a fazer esta canalização energética do universo para nós e de nós para o vampiro deixa de tornar necessário levantar os Escudos Naturais (que podem ser úteis a curto termo mas prejudiciais a longo termo como vimos anteriormente). Desta forma podemos alimentar qualquer vampiro sem mazelas no nosso corpo energético (logo sem mazelas no corpo mental e físico). Saciar a sede de um vampiro ao ponto da lucidez suficiente para lhe chamar à razão pode ser o início da cura do seu estado de Vampiro Energético, uma vez que este está saciado e pode aprender a saciar outros usando a mesma técnica de canalização.Mas tudo isto é válido em situações ditas normais, não pensemos demagogicamente que vampiros em situação de doença, pobreza extrema, velhice ou muita juventude são capazes de ‘curar’ a sua condição. Eles vão, sim, necessitar de cada vez mais energia para os seus sistemas funcionarem.

 

white-light-235x300Se necessita, de livre vontade, alimentar um vampiro existem umas quantas regras que nunca se pode esquecer. E fica desde já parabenizado/a por fazer este serviço pois um vampiro saciado pode ser um vampiro curado.

 

  1. Faça uma meditação de luz branca (mencionada anteriormente)
  2. Possua consigo um cristal canalizador (habitualmente uma ponta ou vara de quartzo, mesmo que pequena é extremamente funcional), segure-o na sua mão esquerda para proteger o seu chakra cardíaco e para fazer fluir energia pelo seu chakra curador de mão na direcção do vampiro
  3. Contraponha as frases do vampiro com frases positivas e refraseie todas as frases negativas do vampiro numa forma positiva, mesmo que esteja empaticamente a concordar com ele (por exemplo à frase ‘não tenho sorte nenhuma‘ reformule a frase e responda-lhe ‘de facto a sorte está fraca mas é uma fase‘)
  4. Diga com frequênciaconta-me algo positivo
  5. Acompanhe a conversa de um vampiro tentando descobrir o lado positivo de cada catástrofe que ele conta, sempre a sorrir e sendo empático (sem comungar do sentimento dele)
  6. Sinta que entrega a sua energia de livre vontade e faça um esforço para sentir que pelo seu chakra coronário mais energia do universo entra no seu sistema chákrico para repor a falta
  7. Obrigue-se sempre a pensar, falar, julgar e aconselhar pela positiva (nunca diga ‘não faças mais isso‘ que é uma frase pela negativa, reforce com ‘faz antes isto‘)
  8. Lembre-se sempre que deve ser empático/a e que não é responsável pelas causas dos lamentos de um vampiro inconsciente ou semi-consciente
  9. Sorria e tenha controlo pessoal
  10. AME-SE!
Comentários

Facebook
Twitter
Pinterest
Linkedin
E-mail
ADOREI!!!
Partilhe o conhecimento...

Tudo o que lhe apresentamos aqui é certamente interessante para outras pessoas que conhece.

Facebook
Twitter
E-mail
ADOREI!!!

Por isso somos uma comunidade.